Quarta Parede

Blog de reflexão sobre teatro e dramaturgia.

Alguns traços do drama contemporâneo a partir de Jean-Pierre Sarrazac

with one comment

 

As personagens do drama descem à terra, tornam-se mortais, banais, indistintas. E assim permitem de novo o drama, pois ao tornarem-se ninguém são também toda a gente.

Tornando-se ninguém, a personagem pode ser dupla, tripla, múltipla; o palco enche-se de vozes à medida que se esvazia de identidades.

A mortalidade das personagens torna-as portadoras de memória. Quando o fim está traçado, a peripécia torna-se fútil e a grande tragédia é o ter nascido para morrer.

Perante o absurdo do nascimento, existência e morte, a racionalidade torna-se suspeita, e a sua ferramenta, a palavra, quebra-se e torna-se redundante e inútil.

O dom da compressão: Ésquilo condensava vários dias em duas horas, Beckett comprime uma vida inteira em 15 minutos.

Anúncios

Written by Jorge

Fevereiro 17, 2011 às 10:03 am

Publicado em Reflexão

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. Hello Admin. I think you copy text …. Click here

    ukcategories

    Fevereiro 17, 2011 at 10:11 am


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: